Aprenda a calcular o custo de um funcionário

Controlar bem a saída de dinheiro é essencial para manter a viabilidade financeira de uma empresa. Entre os vários custos e despesas que compõem sua atividade, a categoria mais significativa é a dos gastos com ativos trabalhistas.
Mas será que você sabe o quanto sua empresa realmente gasta com salários, férias, 13º salário, entre outros? Para esclarecer essa dúvida, neste artigo vamos ensinar como calcular o custo de um funcionário. Acompanhe:

Comece pelo salário e benefícios básicos

Para começar, abra uma planilha em branco no seu computador. Vamos calcular o custo de um funcionário a partir do seu salário. Nessa planilha, registre o que é pago por mês diretamente ao funcionário.
Nessa categoria, incluímos o salário bruto e também benefícios como vale-transporte, vale-refeição ou vale-alimentação. Não se esqueça de calcular também as horas extras, que podem ter valor de 50% ou 100% acima do valor de uma hora normal, conforme a situação.

Considere os custos ocultos

Além do que é pago diretamente ao funcionário, sua empresa também tem custos ocultos. Eles estão relacionados à parcela do empregador em relação a benefícios para a segurança financeira do trabalhador. Nesse caso, inclua na sua planilha:
  • Mais 8% do valor do salário bruto, referente ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. Se o funcionário recebe R$ 2000, você deve recolher R$ 160;
  • Mais 20% do valor do salário bruto, referente à previdência social (INSS). Se o funcionário recebe R$ 2000, você deve recolher R$ 400;
  • Mais 1% a 3%, referente ao seguro contra acidentes de trabalho. Se o funcionário recebe R$2000, você deve recolher de R$ 20 a R$ 60.

Acrescente os custos anuais

Além daquilo que sua empresa paga mensalmente, alguns custos são pagos apenas uma vez no ano. Nessa categoria, podemos incluir:
  • O 13º salário, que tem o mesmo valor de um salário mensal bruto;
  • O pagamento das férias, que tem o valor de um salário mensal bruto mais 1/3 de bônus;
  • O Programa de Participação nos Lucros e Resultados, se esse benefício estiver incluso na convenção coletiva firmada pelo sindicato patronal. O valor do PLR é variável e corresponde a uma certa porcentagem do salário bruto.

Lembre-se dos custos do desligamento

Até agora, apresentamos os principais custos de um funcionário ativo. Mas também há valores envolvidos no processo de desligamento. Se o funcionário pedir demissão, sua empresa deve pagar:
  • O saldo de salários devidos;
  • Férias vencidas e o valor proporcional das próximas férias;
  • Valor proporcional do próximo 13º salário;
  • Aviso prévio (exceto nos casos em que o próprio funcionário abre mão desse direito).
Por outro lado, quando a empresa é a responsável pelo desligamento, contanto que não haja justa causa, você deve pagar, além de todos estes valores, também uma multa de 40% sobre o valor acumulado do FGTS.
Agora você já sabe qual é o custo de um funcionário. Essa informação deve ser considerada para a tomada de decisões importantes, como a abertura de novas vagas em sua empresa. Além disso, é importante ter em mente que o descumprimento dessas responsabilidades pode acarretar ainda em outros custos, como despesas jurídicas relacionadas a processos ou multas trabalhistas.
Como sua empresa faz o controle dos custos com funcionários? Conte para nós, deixando seu comentário neste post!

No Comments

Leave a Reply

Conheça o RH 4.0 e os seus impactos na gestão de pessoas
?
Alguma dúvida?